Henrique Maximiano Coelho Neto

A casa da saudade chama-se memória:
é uma cabana pequenina a um canto do coração.

O beijo é uma estrofe que duas bocas rimam.


 A mulher deve ser lentamente decifrada, como
 o enigma que é: encanto a encanto.

 Não perguntes à Felicidade quem ela é nem de onde veio:  abre-lhe a porta para que ela entre e fecha-a bem   aferrolhada, para que não fuja .


ઇ‍ઉ.¸¸.*´´¯` ઇ‍ઉ.¸¸.*´´¯` ઇ‍ઉ.¸¸.*´´¯`

Não é a morte o que impressiona, é o morrer .

ઇ‍ઉ.¸¸.*´´¯` ઇ‍ઉ.¸¸.*´´¯` ઇ‍ઉ.¸¸.*´´¯`

A mentira é um manto esfarrapado e curto, que não consegue jamais esconder a verdade. A mentira é como uma baforada de fumo que logo se desmancha no ar .

ઇ‍ઉ.¸¸.*´´¯` ઇ‍ઉ.¸¸.*´´¯` ઇ‍ઉ.¸¸.*´´¯`

Henrique Maximiano Coelho Neto (Caxias, 21 de fevereiro de 1864 — Rio de Janeiro, 28 de novembro de 1934) foi um escritor, político e professor brasileiro.


3 comentários:

Elzira Dourado disse...

Oi...
Adoro vir aqui, vc coloca palavras, frases, mensagens
tão lindas e inspiradoras...
E coisas que está na nossa
realidade...

Adoro seu blog...

Beijos com carinho!

so sad disse...

e como é atual ainda no sec. XXI.

Mari e Poly disse...

aconchegante passar por aqui
Parabéns!!!

xeru
Mari